Dicas sobre motos

Sua moto já foi chamada para recall? Vai comprar uma moto usada e quer saber se ela já sofreu um acidente?

postado em 11 de mar de 2011 04:51 por José Souza

A venda de veículos vem sendo recorde no Brasil. Em 2010, o número de automóveis e motocicletas convocados em recall por causa de defeito de fabricação chegou a 1,432 milhão, conforme dados do Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor (DPDC), do Ministério da Justiça. Esse total representa 63 campanhas e um aumento de 96,4% em relação aos 729,5 mil veículos convocados em 2009.

Atenta a esses índices, a Checkauto, coloca à disposição dos clientes o serviço de historio de recall no sitewww.checkauto.com.br.

Para realizar a consulta, basta entrar na homepage e acessar o ícone correspondente ao serviço. Cada consulta custa R$ 25,00. No local, o cliente deve responder ao formulário, informando seu e-mail, o número do chassi do veículo e o código de segurança solicitado pelo site. “Em poucos minutos o usuário terá o histórico do automóvel.

Este processo tem por objetivo básico proteger e preservar a vida, integridade e segurança do consumidor. Esta ferramenta pode ser útil também em uma negociação de compra e venda de veículo usado ou seminovo”, afirma o diretor da empresa, Luis Neca.

Após a consulta, caso haja no veículo consultado um chamado para recall, o proprietário deve se dirigir o mais rápido possível a uma concessionária da marca para efetuar uma inspeção ou reparo no item apontado. Antes, deve ligar para o atendimento 0800 da montadora informado em sua consulta sobre a necessidade de agendar o conserto, que pode ser feito em qualquer revenda da marca sem cobrança para o cliente.

Outras facilidades

Ainda no site, os internautas têm acesso histórico de acidentes, consulta gratuita por meio de celular e cadastro preventivo antifraude de quilometragem. Além de encontrar dicas de sites relacionados, é possível conferir dados como restrições administrativas, tributárias e judiciais; ocorrências de roubo e furto; existência de multas; decodificador de chassi; duplicidade de motor; registro do veículo; licenciamento e emplacamento; veículos garantidos e inspeção veicular, entre outros.

Pilotando em diferentes pisos

postado em 2 de mar de 2011 04:05 por José Souza

CONDIÇÕES DE PISO
Há uma série de fatores que fazem com que as vias por onde passa ofereça desafios maiores. Na realidade, a superfície da rua pode ser um problema por si só. Eis aqui a relação de algumas irregularidades que você pode encontrar:

Estradas e ruas de cascalho
Reduzirão a tração e lhe darão a sensação da moto estar solta. Reduza a sua velocidade e não mude a direção ou a velocidade de maneira brusca. Continue acelerando moderadamente.

Restos
De areia, cascalho, óleo ou combustível sobre o pavimento formarão pontos escorregadios que poderão surpreendê-lo. Use o PIPDE para evitá-los. Se não conseguir, passe sobre eles a uma velocidade constante. Faça quaisquer alterações de velocidade e direção antes de entrar no trecho escorregadio.

Estrias formadas pela chuva 
Aumentarão a sensação de que sua moto está solta, apesar de não reduzirem a tração. Diminua a sua velocidade até que você se sinta confortável.

Grades metálicas 
Combinam aquela sensação de moto solta, causada por estrias de chuva, com tração reduzida. Especialmente quando a grade está molhada. Diminua a marcha antes de alcançá-la e evite mudanças bruscas de velocidade e direção, uma vez que você esteja sobre ela.

Solavancos, erosões e rachaduras  
São obstáculos que você deve passar por cima. Se for grande o suficiente, podem deslocar a moto. Passe por eles chegando perto de um ângulo de noventa graus (quando possível) e mantenha uma velocidade constante. Se for necessário, levante-se do assento quando passar sobre eles.

Sob certas condições, mesmo as melhores superfícies podem criar problemas. Lama, neve, gelo, combustível e óleo derramados podem reduzir a tração da sua moto. 

E, é claro, se estiver chovendo, as poças de água são maiores. Quando a tração diminuir reduza a velocidade e evite movimentos bruscos.

Lombadas
Para transitar em locais que possuem lombadas, a melhor técnica é sempre ficar em pé sobre as pedaleiras da motocicleta. Dessa forma você evita o solavanco do assento em seu corpo.

Canaletas
Assim como as lombadas, as canaletas também pode ocasionar um pequeno solavanco do assento em seu corpo. Para isso a melhor técnica continua sendo ficar em pé sobre as pedaleiras da motocicleta. Assim sua pilotagem continuará confortável e tranqüila.


DICAS RÁPIDAS - Honda Piloto Mais

postado em 1 de mar de 2011 12:10 por José Souza

PILOTANDO SUA MOTOCICLETA

Antes de sair, cheque todos os detalhes da sua moto: piscas, acendimento farol, pneus, corrente, combustível, posição retrovisores.

Pilote sempre equipado! Utilize capacete no tamanho adequado e com faixas reflexivas. Lembre-se da viseira cobrindo os olhos e caso o capacete não seja fechado com “queixeira”, a viseira tem que cobrir todo o queixo. As luvas de couro também são muito importantes para sua pilotagem.

No pé, nunca chinelos e sandálias. Sempre um calçado fechado acima dos tornozelos. Mesmo no calor, use sempre calça e jaqueta. Dessa forma você estará bem equipado dos pés à cabeça!

Fique atento à sua postura: mantenha o corpo ereto, as pernas juntas ao tanque da moto e os braços levemente flexionados. E aproveite para curtir a sua moto!

 

CURVAS

Para fazer uma curva perfeita, diminua a velocidade antes da curva e  mantenha a velocidade constante durante a inclinação da motocicleta na curva. Após a curva, retome a aceleração aos poucos para voltar a motocicleta na posição reta. Lembre-se: procure sempre olhar e ficar ligado no final da curva e evite frear quando a motocicleta já estiver inclinada.

 

FRENAGEM

Sabia que é possível diminuir mais de 50% a distância de parada total da motocicleta com uma frenagem precisa?! É simples: basta frear de forma simultânea e progressiva os dois freios, pressionar as pernas no tanque para manter o peso na roda traseira, pois boa parte do peso (piloto/motocicleta) se desloca para frente, e utilizar os 4 dedos da mão para que toda a alavanca seja acionada. Fique esperto para não usar bruscamente os freios a ponto de travar as rodas e perder o equilíbrio da moto.

Vale lembrar que os pneus devem sempre estar calibrados e em bom estado de conservação.

 

PROCURAR - IDENTIFICAR - PREVER - DECIDIR - EXECUTAR (PIPDE) 

O PIPDE é utilizado em coisas simples do dia-a-dia, como subir uma escada, atravessar uma rua e até mesmo na pilotagem da sua moto:

PROCURAR – Fique atento a todas as informações que possam sinalizar situações perigosas.

IDENTIFICAR – Se estiver atento e concentrado na pilotagem, com certeza irá identificar os perigos potenciais.

PREVER – Após identificar os perigos, preveja o que poderá acontecer.

DECIDIR – Essa antecipação aos perigos permite tomar decisões mais precisas.

EXECUTAR – Após essa seqüência de raciocínio, execute sua decisão com rapidez, firmeza e perícia.

Por isso pilote sempre concentrado e pense sempre na decisão a ser tomada no trânsito.

Exemplo: Tem uma criança jogando bola na rua -> utilize o PIPDE para prever e evitar acidentes.

Procurar: Uma criança atrás da bola

Identificar: A bola caiu na rua

Prever: A criança poderá correr atrás da bola e a bola poderá atingir a motocicleta

Decidir: Preciso diminuir a velocidade

Executar: Diminuir a velocidade e mudar de faixa (caso necessário).

 

POSICIONAMENTO DA MOTOCICLETA

Em rodovias, procure ficar no mínimo a 2 segundos de distância dos demais veículos. Para fazer essa contagem siga os seguintes passos:

1.       Identifique um ponto fixo a sua frente (pontes, árvores, placas, etc.). Assim que o veiculo da frente passar pelo ponto, inicie a contagem “mil e um – mil e dois” pausadamente;

2.       Você deverá estar passando pelo mesmo ponto de referencia após esse intervalo de tempo;

3.       Se você já passou pelo ponto antes de terminar a contagem, quer dizer que está muito próximo aos demais veículos e em caso de emergência não terá espaço suficiente para parar / manobrar a motocicleta.

4.       Realize o mesmo procedimento com o veículo que vem de trás. Procure andar com a motocicleta na faixa central da pista, para ter maior visão e área de escape tanto para a esquerda quanto para a direita.

 

CRUZAMENTO

Sempre que se aproximar de um cruzamento, reduza a velocidade – mesmo estando na preferencial. Olhe para os lados e utilize o retrovisor para olhar para  trás  por cima dos ombros. 

Evite a conversão a esquerda e opte por um retorno, é mais seguro!

 

SITUAÇÕES ESPECIAIS

Algumas situações podem provocar o travamento das rodas. O travamento da roda dianteira é mais difícil de controlar, por isso quando acontecer, libere rapidamente o manete do freio e volte a frear novamente.   

O travamento da roda traseira é mais comum acontecer devido à falta de peso na roda traseira no momento da frenagem. Porém é mais fácil de controlar. Lembre-se que em qualquer situação você deve manter a trajetória reta e alivie o freio da roda que está travada.

Ondulações e buracos também são situações especiais: é necessário segurar firme no guidão, levantar o corpo do assento, manter os joelhos flexionados e presos no tanque para maior estabilidade. Mantenha essa postura somente o tempo necessário para transpor as ondulações ou buracos.

Pilotagem noturna é uma situação que exige o dobro da atenção do motociclista: a visão fica reduzida em 20%, as cores desaparecem, a noção de profundidade diminui e o mais perigoso acontece: o ofuscamento. Por isso evite olhar para os faróis dos outros veículos que vem em sentido contrario. Sinalize tudo o que for fazer e use roupas de cores claras ou com faixas reflexivas.

 

CONDIÇÕES DA ESTRADA

Fique atento à pisos irregulares e com baixa aderência. Sempre que se deparar com essas condições evite o acionamento brusco nos comandos (acelerador e freios) e mantenha a aceleração constante. Tome cuidado também com mudanças bruscas de direção. Como o piso não permite boa aderência podem acontecer situações de desequilíbrio ou derrapagem.

 

TRANSPORTANDO GARUPA OU CARGA

 

Para transportar um garupa: ajuste a suspensão (caso possível) e a calibragem do pneu, peça para o garupa sentar próximo ao piloto, agarrar na cintura e pressionar as pernas junto ao seu quadril ou segurar nas alças laterais, mas sempre mantendo o corpo grudado no piloto.

Dicas para o garupa: olhar por cima do ombro do piloto, manter os pés apoiados nas pedaleiras o tempo todo, inclinar junto com o piloto em curvas e evitar qualquer movimentação sem avisar.

Para transportar carga: fique de olho no peso, na localização e na fixação da mesma. Muito peso pode prejudicar a dirigibilidade. A localização pode prejudicar a distribuição de peso nas rodas e uma fixação mal feita pode se soltar e se enroscar em partes da motocicleta e o motociclista sofrer uma queda.

No manual da motocicleta existem considerações sobre o peso máximo que a motocicleta pode transportar.

 

ADVERSIDADES

Pneu furado: Se isso acontecer, segure o guidão com firmeza, pilote suavemente e vá diminuindo a aceleração. Evite reduzir marchas e frear. Diminua a velocidade vagarosamente e saia da rua/estrada. Se você for obrigado a frear, use o freio do pneu bom (que não está furado).

Vento constante: não significa um problema, não se preocupe! Apenas incline a moto contra a direção do vento e dê margem para manobra. Use o PIPDE para identificar quando o vento vai mudar, pontes e passarelas são locais mais comuns e prédios altos podem contribuir para causar rajadas de vento.

Áreas alagadas: evite transpô-las, é difícil avaliar a profundidade da água e velocidade da correnteza.

Chuva: Redobre sua atenção, pois a chuva no capacete reduz sua visibilidade e torna a pista mais escorregadia. Nesse momento, sua frenagem e atenção são fundamentais.

 

Fonte: http://www.hondapilotomais.com.br/


Viagem costa a costa

postado em 1 de mar de 2011 06:13 por José Souza


Olá Colegas.

A dica de hoje é a de um blog. Nele você vai acompanhar a narrativa de uma fantástica viagem de costa a costa nos EUA. Aproveite a leitura.


Um abraço.


Honda e sua rede de concessionárias treinaram mais de 66 mil motociclistas em 2010

postado em 28 de fev de 2011 11:20 por José Souza

Em 2010, os Centros Educacionais de Trânsito Honda (CETH), localizados em Indaiatuba (SP) e Recife (PE), e os Centros Educacionais de Trânsito das Concessionárias (CETC), distribuídos por todo o País, treinaram mais de 66 mil motociclistas, superando o número obtido em 2009, quando mais de 50 mil pessoas tiveram acesso aos cursos de pilotagem com segurança ministrados pela Honda. Desde 1998 já foram treinadas pela Honda e sua rede de concessionárias mais de 240.000 pessoas.

Os treinamentos foram oferecidos a profissionais de órgãos públicos e frotistas como: policia militar, bombeiro, exército, guardas municipais, AmBev, Schincariol, Coca-cola e membros da sociedade em geral. Além disso, os CETH’s oferecem cursos voltados especificamente à formação de novos instrutores da rede de concessionárias que após a conclusão do módulo são responsáveis pela difusão dos conhecimentos aos motociclistas de sua região.
Os cursos têm como objetivo aprimorar a habilidade de pilotagem dos motociclistas, para que eles possam enfrentar com desenvoltura diversas situações que ocorrem em seu dia a dia. Também é abordada a importância dos equipamentos de segurança, tanto para profissionais que utilizam a motocicleta em sua rotina de trabalho diária quanto para os cidadãos que fazem uso do veículo em seu dia a dia, para locomoção.

Os treinamentos promovidos pelos CETH’s em 2010 aconteceram não apenas nas dependências das unidades: foram levados para mais perto dos motociclistas, com o oferecimento de palestras em empresas, cursos itinerantes e eventos como a Ação Moto Legal, realizada no mês de agosto em São Bernardo do Campo, e aos motociclistas profissionais participantes da 13ª edição do Moto Check-Up (evento promovido pela Abraciclo – Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares).

Os treinamentos ministrados são divididos em duas partes: teoria e prática. Na primeira, são abordados temas como características e comandos da motocicleta, inspeção preventiva, equipamentos de proteção, postura básica, estratégias de condução e pilotagem no trânsito, entre outros. Na segunda, são aplicados exercícios em pista utilizando as técnicas ensinadas em sala de aula, como as técnicas de frenagens e curvas.

Dedicação contínua

A Honda tem, como filosofia global, não apenas oferecer produtos de qualidade e tecnologia a seus consumidores, mas também proporcionar a eles condições de usufruí-los com segurança. Por isso, desenvolve em todo o mundo iniciativas voltadas à promoção de um trânsito mais harmonioso para todos, motoristas, motociclistas e pedestres.

No Brasil, a empresa promove o programa “Harmonia no Trânsito”, que envolve todas as áreas da companhia na discussão e execução de projetos que visem à melhoria do trânsito, a partir da educação.

Entre as atividades realizadas estão o Clubinho Honda (www.clubinhohonda.com.br), que tem como objetivo a educação infantil; o site Piloto Mais (www.hondapilotomais.com.br), que oferece dicas de pilotagem a motociclistas; os quadrinhos “O Super Motociclista”, que acompanham os manuais dos proprietários de motocicletas Honda; o trabalho desenvolvido nos Centros Educacionais de Trânsito Honda (CETH) e nos 70 Centros Educacionais de Trânsito das Concessionárias (CETC) distribuídos por todo o País, além do apoio a diversas ações de órgãos e entidades de classe, como a Abraciclo (Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares), a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) e Prefeituras de vários municípios.


Fonte:http://www.hondapilotomais.com.br/

Honda dá dicas de pilotagem com segurança para longos trajetos

postado em 28 de fev de 2011 11:04 por José Souza

Instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda relacionam alguns cuidados que devem ser tomados durante uma viagem de motocicleta. 
Fonte: Linkpress 

Instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda relacionam alguns cuidados que devem ser tomados durante uma viagem de motocicleta

Para aproveitar ao máximo a sensação de liberdade e prazer que a motocicleta proporciona, os instrutores do Centro Educacional de Trânsito Honda (CETH) dão algumas importantes dicas de pilotagem para quem pretende pegar a estrada nestas férias.

O primeiro passo antes de seguir viagem é colocar todos os equipamentos de segurança: capacete, roupas apropriadas, calçados que protejam os pés e luvas. Embora nem todos estes acessórios sejam exigidos por lei, é importante buscar a máxima proteção.

Na programação, a pressa não pode estar incluída. Uma viagem de motocicleta deve ter hora para começar, mas não para terminar. Compensar atrasos, jamais.

De modo geral, a maior probabilidade de ocorrer algum problema está concentrada nos primeiros minutos de condução. Isso porque o motociclista ainda está relaxado e com o raciocínio não tão focado. Além disso, a expectativa da viagem gera uma descarga de adrenalina e estresse. Para reduzir a tensão, são indicados alguns minutos de alongamento.

Durante a viagem, lembre-se: as motocicletas sofrem influência das correntes de ar, das instabilidades do piso e de manobras inesperadas de outros veículos.


Conduzir em grupo

Na estrada, a atenção deve ser redobrada. Mesmo que a motocicleta esteja em via preferencial, o condutor está sempre mais vulnerável diante de outros veículos. Para passeios em grupo, o roteiro do percurso, o itinerário a ser seguido e as paradas a serem feitas devem ser definidas antes da partida.

Durante o trajeto, os mais lentos devem seguir sempre à frente do grupo.  É indicado não fazer ultrapassagens e utilizar a trilha deixada pelos pneus dos automóveis no asfalto. Em pista única, deve-se manter um espaço razoável entre as motocicletas, para permitir ultrapassagens de outros veículos. Outra importante dica é evitar a sensação de hipnose causada pelo acompanhamento contínuo.

Se sofrer algum ato de imprudência de outro condutor, o melhor a fazer é não tirar satisfações e manter-se distante. Pista não é lugar para conflitos ou brincadeiras.

Evite aproximações desnecessárias: na estrada, a comunicação deve ser por sinais. Com a motocicleta em movimento, jamais se deve tocar o outro condutor.


Parada necessária

Problemas mecânicos também são situações que eventualmente podem surgir. Nessas ocasiões, pare em um local seguro, de preferência em retas planas e sem obstáculos visuais. Sinalize aos demais veículos que está havendo um imprevisto, utilizando o pisca-alerta ou a seta para a direita. Evite atravessar ou caminhar pela estrada.

A parada deve ser feita no acostamento e a pista deve ser sinalizada nos dois sentidos, a pelo menos 50 metros da motocicleta. Enquanto as providências no local são tomadas, outros motociclistas devem buscar auxílio.

O espírito de alerta deve fazer parte de toda a viagem. Seguindo essas orientações e utilizando o bom-senso e o respeito ao próximo, é possível viver com liberdade uma experiência de pilotagem única, reservada a quem está sobre uma Honda.

1-6 of 6

Comments