DICAS RÁPIDAS - Honda Piloto Mais

postado em 1 de mar de 2011 12:10 por José Souza

PILOTANDO SUA MOTOCICLETA

Antes de sair, cheque todos os detalhes da sua moto: piscas, acendimento farol, pneus, corrente, combustível, posição retrovisores.

Pilote sempre equipado! Utilize capacete no tamanho adequado e com faixas reflexivas. Lembre-se da viseira cobrindo os olhos e caso o capacete não seja fechado com “queixeira”, a viseira tem que cobrir todo o queixo. As luvas de couro também são muito importantes para sua pilotagem.

No pé, nunca chinelos e sandálias. Sempre um calçado fechado acima dos tornozelos. Mesmo no calor, use sempre calça e jaqueta. Dessa forma você estará bem equipado dos pés à cabeça!

Fique atento à sua postura: mantenha o corpo ereto, as pernas juntas ao tanque da moto e os braços levemente flexionados. E aproveite para curtir a sua moto!

 

CURVAS

Para fazer uma curva perfeita, diminua a velocidade antes da curva e  mantenha a velocidade constante durante a inclinação da motocicleta na curva. Após a curva, retome a aceleração aos poucos para voltar a motocicleta na posição reta. Lembre-se: procure sempre olhar e ficar ligado no final da curva e evite frear quando a motocicleta já estiver inclinada.

 

FRENAGEM

Sabia que é possível diminuir mais de 50% a distância de parada total da motocicleta com uma frenagem precisa?! É simples: basta frear de forma simultânea e progressiva os dois freios, pressionar as pernas no tanque para manter o peso na roda traseira, pois boa parte do peso (piloto/motocicleta) se desloca para frente, e utilizar os 4 dedos da mão para que toda a alavanca seja acionada. Fique esperto para não usar bruscamente os freios a ponto de travar as rodas e perder o equilíbrio da moto.

Vale lembrar que os pneus devem sempre estar calibrados e em bom estado de conservação.

 

PROCURAR - IDENTIFICAR - PREVER - DECIDIR - EXECUTAR (PIPDE) 

O PIPDE é utilizado em coisas simples do dia-a-dia, como subir uma escada, atravessar uma rua e até mesmo na pilotagem da sua moto:

PROCURAR – Fique atento a todas as informações que possam sinalizar situações perigosas.

IDENTIFICAR – Se estiver atento e concentrado na pilotagem, com certeza irá identificar os perigos potenciais.

PREVER – Após identificar os perigos, preveja o que poderá acontecer.

DECIDIR – Essa antecipação aos perigos permite tomar decisões mais precisas.

EXECUTAR – Após essa seqüência de raciocínio, execute sua decisão com rapidez, firmeza e perícia.

Por isso pilote sempre concentrado e pense sempre na decisão a ser tomada no trânsito.

Exemplo: Tem uma criança jogando bola na rua -> utilize o PIPDE para prever e evitar acidentes.

Procurar: Uma criança atrás da bola

Identificar: A bola caiu na rua

Prever: A criança poderá correr atrás da bola e a bola poderá atingir a motocicleta

Decidir: Preciso diminuir a velocidade

Executar: Diminuir a velocidade e mudar de faixa (caso necessário).

 

POSICIONAMENTO DA MOTOCICLETA

Em rodovias, procure ficar no mínimo a 2 segundos de distância dos demais veículos. Para fazer essa contagem siga os seguintes passos:

1.       Identifique um ponto fixo a sua frente (pontes, árvores, placas, etc.). Assim que o veiculo da frente passar pelo ponto, inicie a contagem “mil e um – mil e dois” pausadamente;

2.       Você deverá estar passando pelo mesmo ponto de referencia após esse intervalo de tempo;

3.       Se você já passou pelo ponto antes de terminar a contagem, quer dizer que está muito próximo aos demais veículos e em caso de emergência não terá espaço suficiente para parar / manobrar a motocicleta.

4.       Realize o mesmo procedimento com o veículo que vem de trás. Procure andar com a motocicleta na faixa central da pista, para ter maior visão e área de escape tanto para a esquerda quanto para a direita.

 

CRUZAMENTO

Sempre que se aproximar de um cruzamento, reduza a velocidade – mesmo estando na preferencial. Olhe para os lados e utilize o retrovisor para olhar para  trás  por cima dos ombros. 

Evite a conversão a esquerda e opte por um retorno, é mais seguro!

 

SITUAÇÕES ESPECIAIS

Algumas situações podem provocar o travamento das rodas. O travamento da roda dianteira é mais difícil de controlar, por isso quando acontecer, libere rapidamente o manete do freio e volte a frear novamente.   

O travamento da roda traseira é mais comum acontecer devido à falta de peso na roda traseira no momento da frenagem. Porém é mais fácil de controlar. Lembre-se que em qualquer situação você deve manter a trajetória reta e alivie o freio da roda que está travada.

Ondulações e buracos também são situações especiais: é necessário segurar firme no guidão, levantar o corpo do assento, manter os joelhos flexionados e presos no tanque para maior estabilidade. Mantenha essa postura somente o tempo necessário para transpor as ondulações ou buracos.

Pilotagem noturna é uma situação que exige o dobro da atenção do motociclista: a visão fica reduzida em 20%, as cores desaparecem, a noção de profundidade diminui e o mais perigoso acontece: o ofuscamento. Por isso evite olhar para os faróis dos outros veículos que vem em sentido contrario. Sinalize tudo o que for fazer e use roupas de cores claras ou com faixas reflexivas.

 

CONDIÇÕES DA ESTRADA

Fique atento à pisos irregulares e com baixa aderência. Sempre que se deparar com essas condições evite o acionamento brusco nos comandos (acelerador e freios) e mantenha a aceleração constante. Tome cuidado também com mudanças bruscas de direção. Como o piso não permite boa aderência podem acontecer situações de desequilíbrio ou derrapagem.

 

TRANSPORTANDO GARUPA OU CARGA

 

Para transportar um garupa: ajuste a suspensão (caso possível) e a calibragem do pneu, peça para o garupa sentar próximo ao piloto, agarrar na cintura e pressionar as pernas junto ao seu quadril ou segurar nas alças laterais, mas sempre mantendo o corpo grudado no piloto.

Dicas para o garupa: olhar por cima do ombro do piloto, manter os pés apoiados nas pedaleiras o tempo todo, inclinar junto com o piloto em curvas e evitar qualquer movimentação sem avisar.

Para transportar carga: fique de olho no peso, na localização e na fixação da mesma. Muito peso pode prejudicar a dirigibilidade. A localização pode prejudicar a distribuição de peso nas rodas e uma fixação mal feita pode se soltar e se enroscar em partes da motocicleta e o motociclista sofrer uma queda.

No manual da motocicleta existem considerações sobre o peso máximo que a motocicleta pode transportar.

 

ADVERSIDADES

Pneu furado: Se isso acontecer, segure o guidão com firmeza, pilote suavemente e vá diminuindo a aceleração. Evite reduzir marchas e frear. Diminua a velocidade vagarosamente e saia da rua/estrada. Se você for obrigado a frear, use o freio do pneu bom (que não está furado).

Vento constante: não significa um problema, não se preocupe! Apenas incline a moto contra a direção do vento e dê margem para manobra. Use o PIPDE para identificar quando o vento vai mudar, pontes e passarelas são locais mais comuns e prédios altos podem contribuir para causar rajadas de vento.

Áreas alagadas: evite transpô-las, é difícil avaliar a profundidade da água e velocidade da correnteza.

Chuva: Redobre sua atenção, pois a chuva no capacete reduz sua visibilidade e torna a pista mais escorregadia. Nesse momento, sua frenagem e atenção são fundamentais.

 

Fonte: http://www.hondapilotomais.com.br/


Comments